Parque Solar de Russas é destaque no Diário do Nordeste


11/06/2013 - Destaque - Igor Raneelle

Parque Solar de Russas começa a operar em 2014. A instalação da usina solar também vai atrair, para a região, uma indústria de painéis da Sungen.

Com investimento total de R$ 500 milhões para a construção das quatro etapas do Parque Solar de Russas, de 100 megawatts (MW), a conclusão da primeira fase da usina já está marcada para o próximo ano. Conforme o diretor da Kwara Energia do Brasil – empresa cearense responsável pela instalação -, Augusto Rodrigues, para a primeira etapa, que irá produzir 10MW de energia, serão gastos R$ 50 milhões. Já as outras três etapas, previstas para 2016, terão produção de 30 MW cada uma.

Ele destaca que a energia gerada na primeira etapa será vendida no mercado livre, podendo ser comercializada antes mesmo da conclusão das obras. Já para a contratação das outras três fases, a expectativa são os leilões de energia. Para a primeira fase do Parque Solar serão necessários cerca de 200 trabalhadores. Já para a operação da usina serão 30 pessoas, dentre técnicos e engenheiros.

Na tarde de ontem, políticos, representantes da Kwara e da empresa chinesa Surgen – que produz painéis solares – estiveram em Russas para negociações. Segundo o deputado federal Antônio Balhmann, também foi acertado, ontem, a instalação de uma indústria da Surgen ao lado do Parque, para a produção dos painéis. “Estamos atraindo o maior parque da América Latina. Os painéis para os primeiros 10 MW serão importados da China, mas, já no próximo ano, está decidida a instalação, em Russas, da fábrica de painéis, que deve gerar mais ou menos 250 empregos”, afirma.

Além dos painéis chineses para o fornecimento de 8MW de energia, com tecnologia Thin film, a Kwara vai utilizar painéis da empresa brasileira Dya. “Ela é a única fábrica do Brasil com tecnologia policristalina. Nosso objetivo é fazer um laboratório para ver qual o melhor rendimento na região”, diz o diretor de engenharia da Kwara, Paulo Renato Lira.

Sobre a comercialização da energia, a expectativa é deque o megawatt fique entre R$ 250 e R$ 300, segundo ele. Lira também reforça que há a expectativa de, no futuro, ocorrerem leilões também para o setor de energia solar, hoje bastante comuns no setor eólico. “O Ceará é um dos maiores polos para a produção de energia eólica e hoje também está sendo um dos maiores para geração de energia solar fotovoltaica, por causa da posição geográfica”, explica.

A empresa já tem a posse do terreno, localizado a 150 quilômetros de Fortaleza, e aguarda licença de Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace). Todo o Parque será instalado em um espaço de 337 hectares – sendo 15 hectares apenas para a primeira etapa.

Informações do Diário do Nordeste



Deixe seu comentário

ACESSO RÁPIDO