Francisco Carvalho



francisco-carvalhoNatural de Russas, Francisco Carvalho era membro da Academia Cearense de Letras e deixa uma obra grandiosa que contrastava com uma vida discreta. Foram 32 livros publicados e, entre os prêmios, o da 1ª Bienal Nestlé de Literatura.

Ao longo dos anos, colecionou uma infinidade de títulos, além de ter vencido vários prêmios, incluindo o da 1ª Bienal Nestlé de Literatura Brasileira, em 1982, com o livro Quadrante Solar; e o prêmio da Fundação Biblioteca Nacional, em 1997, com Girassóis de Barro. “Tem tanto livro aqui no escritório que não sei nem de onde vêm”, relata a esposa, orgulhosa dos estudos do companheiro, com quem completaria 54 anos de casada em 2013.

Para o poeta, a universidade, sem dúvidas, era seu maior recanto. Desde 1965, esteve participando das atividades em ambientes acadêmicos da UFC. O reitor Jesualdo Pereira Farias ainda contava com a contribuição do poeta para a implementação do Memorial da UFC, que aos poucos vem sendo construído e ficará disponível para visitação em diversos espaços. “O Francisco, durante muito tempo, foi secretário dos órgãos superiores da universidade. Era uma pessoa preocupada com a preservação da instituição. Temos escritos importantes narrando uma historia da UFC e o pensamento dele, colocando sua visão sobre problemas da universidade, que ainda são atuais”, relata o reitor.

Além do Prêmio Nestlé, conquistou também o Prêmio da Fundação Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, com o livro “Girassóis de Barro”, em 1997.

Em 2004, o cantor e compositor Raimundo Fagner, conterrâneo de Francisco Carvalho, musicaram cinco poemas dele (“O Bicho Homem”, “Esse Touro Vale Ouro”, “Cesta Básica”, “Reino” e “Minueto da Porta”) e incluiu as canções no álbum “Donos do Brasil”.

No mesmo ano, lançava-se pela Imprensa Universitária “Memórias do Espantalho – Poemas Escolhidos”, antologia da obra do poeta.

O poeta era um dos grandes nomes da literatura cearense, ao lado de outros escritores como José Alcides Pinto e Artur Eduardo Benevides. Mesmo com o passar dos tempos, Francisco Carvalho nunca abandonou o soneto e a arte de rimar.

Nascido em 1927, Francisco Carvalho faleceu nesta última segunda-feira, (04), em Fortaleza, com 86 anos de idade. A causa da morte do escritor foi falência múltipla dos órgãos.

É com grande pesar que o Governo Municipal de Russas vem prestar seus sinceros sentimentos aos familiares e amigos, e homenagens a esse grande e eterno poeta Russano e Cearense, Francisco Carvalho.

ACESSO RÁPIDO